Memórias Postumas de Uma Borboleta

Ainda lembro do primeiro diaem que voei suavemente

Aproveitar a vida era o que eu queria…

O fato de ter uma vida curta rondava minha mente.

Lembro de todos os bons momentos

De todod os lugares que passei

Eu voava pelos quatro ventos

Oh! Quantas flores beijei!

Mas lembro também do que foi ruim…

Das mágoas e marcas que ficaram

Feridas feitas pela mais linda rosa do jardim.

Eu disse que por ela daria a vida

Foi exatamente o que aconteceu

Pois essa dor não finda

Aquele grande amor dentro de mim, morreu!

 

 

By: Raissa Muniz

Anúncios

4 comentários em “Memórias Postumas de Uma Borboleta”

  1. em primeiro lugar, quero dizer que seu poema esta muito lindo e elegante, mostra uma seriedade e uma verdade, gostei muito….
    “Sem mágoas do passado
    Olho para frente com entusiasmo
    Entusiasmo de uma menina
    Que vive com alegria
    E se orgulha a cada dia
    Da simplicidade de seus gestos
    Da leveza do seu caminhar
    Da pureza em seus olhos
    E da vontade de continuar

    Sem demora eu sigo em frente
    Na esperança que alguém invente
    O amor de verdade, para sempre.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s