Espelho

espelho

Euforia, abraços, risadas

Minha alma agasalhada

Bem diria ser felicidade

Ser feliz não é prazer, é necessidade

Ser feliz é um peso

Sorrir é minha obrigação

Ensaio em frente ao espelho

Sigo com minha vocação

Sou mais forte do que pensava

Quando tudo isso não pesava

Agora carrego no peito

O grito da dor, está feito

Cada palavra mal dita

Cada ausência sentida

Cada dose tragada

Na solidão afundada

Meu mal agora faz bem

Aquelas palavras escritas

Não escutei de ninguém

Morri varias vezes, revivi

Noites sem poder dormir

Arrastei correntes em lamento

Você viu meu sofrimento?

 

Raissa Muniz

Anúncios

Feridas

aaa

Hoje me perguntaram por você, perguntaram por nós, pelo nosso velho amor. Você é aquela velha ferida que sempre é reaberta antes de cicatrizar totalmente; e toda vez que penso estar quase curada, alguém me vem com perguntas que reabrem essa dor.

Me perguntam se ainda sinto algo – claro que sinto, e sempre vou sentir. Outros ainda mais cruéis dizem achar que você ainda sente (isso é tão cruel). Quando as pessoas irão entender que sentimento alheio é coisa que não se deve mexer?

Esses comentário me machucam, ainda mais quando se trata do homem que teve de mim os sentimentos mais profundos, sinceros, intensos e puros.

Você seguiu, fez bem. Eu parei e fiquei olhando até você sumir. Até agora estou aqui, parada na rua dos sentimentos, assustada, esperando que alguém me dê uma carona e me tire daqui. Mas parece que permanecerei aqui sentada, esperando por um longo tempo, ainda cuidando dessa ferida que não sara.

R. Muniz

 

Ps.: Aqui é escuro e frio desde a sua partida, e isso tem atrasado minha cura.

Soledad

soledad

Me preparei tanto pra esse momento, mas quando chegou me assustei, sinto-me apavorada com essa solidão.

Tudo em volta é escuro e frio. Por mais que exista alguém(pois sempre existe), não consigo ver.

O medo me cega

As lágrimas embaçam minha visão

tudo que vejo (sinto) é um mundo escuro

sem amor

sem amigos

sem ouvidos para ouvir(entender) meus dramas.

Nunca pensei que meu riso se tornaria tão escasso.

Vivo um dia de cada vez

sabendo que o próximo pode ser pior

Porém, esperando que seja melhor

mais fácil

digno de meus sorrisos.

 

R. Muniz

Não perca a fé, nem a vontade de viver bons momentos, por medo de sofrer depois.

issaChega uma hora que o coração já não suporta tanta dor. A cada relacionamento, um novo machucado.

Um amor que não durou.

Uma amizade que acabou.

Um parente que se afastou…

A cada decepção uma nova dor pro coração.

Quem aguenta?

A cada dor sentida, mais pensamentos inquietantes pra tirar a bendita paz.

Você deita, no fim de um longo dia de trabalho, e lá vem todas as lembranças:

Conversas

Risadas

Promessas

Tudo que fizeram juntos e que não vai mais se repetir.

O pior é que a tendencia não é lembrar e pensar:

“Como foi um tempo bom!”

Não!

Não pensa que o que é bom dura o bastante pra ser inesquecível.

Por que quer que seja eterno.

E se acaba, pensa que foi tudo ilusão

Que depositou muitas expectativas nas pessoas erradas.

 

Lembrar das pessoas(dos momentos) de forma positiva pode ser bom.

Sem essa ideia de que tudo e todos só servirão pra trazer mais uma dor.

Não perca a fé, nem a vontade de viver bons momentos, por medo de sofrer depois.

Seu coração não merece isso!

 

R. Muniz

Meu Orgulho Contra Sua Doçura.

 tra

 

Você alimenta meu ego

E eu gosto disso.

Cada lágrima sua é uma dose de vida

Na qual me embriago.

 

E você nem percebe meu orgulho

Não ver o que eu faço:

Faço e desfaço da sua ingenuidade

Quando sorrindo entre lágrimas me diz:

“Temos o dom de vencer tudo pelo nosso amor.”

 

Se eu choro, não é por sofrer

É pra te fazer sentir culpada.

E quando vejo seus olhos tristes

Sei que sofre por mim

Vejo o quanto me ama

Sempre vai amar

Nem adianta fugir

Eu consegui te dominar

Seu coração é meu

E assim sempre o será.

 

Vai sofrer

Vai chorar

E eu vou sorrir

É disso que eu sobrevivo

Vivo de lágrimas

Dor e sofrimento

 

Vivo mais e melhor ao fazer sofrer

E se vejo seu amor…

Ah, como me faz bem

Seu bem querer.

Dou-te meu veneno

Pois sei que estás em minhas mãos

Quando vou, não temo!

Já tenho a certeza de que virá

Em busca do que pensa ser seu

 

Mas sinto lhe dizer, querida:

Eu não sou seu

Não te amo

Eu amo meu ego

Meu orgulho

Nunca fui seu

Nunca serei de ninguém.

Meu dom é fazer sofrer.

 

Raissa Muniz