Mágoa

Mágoa
Poesia é uma cura
Foi por tempos nossa ligação
Teus versos como sutura
Fecharam as brechas do meu coração
Usou poesia pra me ensinar
Me conscientizar
Que tenho a força do mar
(Sou um mar inconstante, meu bem)
Palavras duras, hostis
Mágoa no peito de quem tanto te quis
Covarde é você, mentiu
Segurei tua mão e tu partiu
Completei teus versos e tua vida
Te tornei mais humano
Me tornei suicida
A noite foi tensa
Chorei lágrimas sofridas
Minha fase mais intensa
Ninguém pra sarar as feridas.
Raissa Muniz
Anúncios

Mal Necessário

andando-sozinha

Sempre foi difícil, nunca pensei que seria fácil. Tantas idas e vindas sem muitas mudanças. Tornou-se um ciclo vicioso, e como todo vício, tornou-se necessário. Uma necessidade incontrolável, um vício irresistível, que o passar do tempo só aumentou.

Dizem que o tempo traz consigo a experiencia, e com a experiencia se aprende a viver, torna-se mais sábio. Mas não foi assim no meu caso, não com você. Pois nós nunca fomos verdade, também não fomos mentira; fomos uma série de desencontros, e no fim eu sempre estive só. Apenas eu, e nunca houve ‘nós’ quando precisei.

Eu precisei de um apoio, de um abraço, um beijo, precisei que você ficasse pra me segurar pela mão e caminhar comigo. Seria uma longa estrada e um caminho seguro. Agora tem sido ainda mais difícil, a estrada está mais tortuosa e o caminho mais escuro a medida que sigo sozinha.

Estou seguindo sozinha porque muitas pessoas passam por mim, mas neste caminho tão escuro não consigo olhar nos olhos de ninguém, e ninguém me olha, ninguém nota o quanto necessito, ninguém me dá a mão e nenhum ser é capaz de me dá segurança.

Esse mal nunca deixou de ser necessário, ninguém me faz esquecer a dor e o bem que me fez, pra que eu possa seguir firme. Nenhum tropeço me fortaleceu e todo esse tempo não me tornou mais sábia.

Só estou mais presa a você , o que me mata e me atrai. Um vício, uma necessidade, me faz mal e eu sigo em busca da cura. Todo mal tem o bem pra combater, então o mal que me faz há de ser sanado – um dia.

R. Muniz

Não perca a fé, nem a vontade de viver bons momentos, por medo de sofrer depois.

issaChega uma hora que o coração já não suporta tanta dor. A cada relacionamento, um novo machucado.

Um amor que não durou.

Uma amizade que acabou.

Um parente que se afastou…

A cada decepção uma nova dor pro coração.

Quem aguenta?

A cada dor sentida, mais pensamentos inquietantes pra tirar a bendita paz.

Você deita, no fim de um longo dia de trabalho, e lá vem todas as lembranças:

Conversas

Risadas

Promessas

Tudo que fizeram juntos e que não vai mais se repetir.

O pior é que a tendencia não é lembrar e pensar:

“Como foi um tempo bom!”

Não!

Não pensa que o que é bom dura o bastante pra ser inesquecível.

Por que quer que seja eterno.

E se acaba, pensa que foi tudo ilusão

Que depositou muitas expectativas nas pessoas erradas.

 

Lembrar das pessoas(dos momentos) de forma positiva pode ser bom.

Sem essa ideia de que tudo e todos só servirão pra trazer mais uma dor.

Não perca a fé, nem a vontade de viver bons momentos, por medo de sofrer depois.

Seu coração não merece isso!

 

R. Muniz

Agonia

issa-agonia

Muitas vezes me senti sozinha, mesmo estando acompanhada de muitas pessoas. Passei momentos de profunda tristeza, mesmo sorrindo aos ventos. Hoje em dia não me preocupo mais em ficar me contendo, não me envergonho em externar meus reais sentimentos.

Pode não parecer que sou eu, mas agora qualquer “bobagem” me deixa extremamente triste, sobrecarregada, com uma dor no peito que parece que vou morrer. E eu nem me importo em transbordar, externar tudo que sinto.

Talvez seja resultado de todas as vezes que sorri por fora e chorei por dentro.

Talvez seja o acúmulo de decepções mal superadas (que eu fingi superar).

Talvez todos esses sentimentos negativos sejam um reflexo, ou melhor, uma consequência de todas as vezes que engoli o choro; dei colo quando eu precisava de um; do quanto tentei resolver a vida das pessoas, sendo que a minha estava precisando de solução.

Tudo isso pode ser visto como a porta de um quarto escuro, se abrindo pra que todos vejam, finalmente, a bagunça que tem aqui dentro.

 

R. Muniz 

Saudade (Segundo Samara Gomes)

249236_10151408873052415_1882090637_n

 

Como é difícil imaginar o que seria se o outro estivesse aqui…

Pensar em quão diferente a vida seria,

Ou como aquele dia poderia ter terminado de outra forma.

O “como seria” é a pior saudade que existe.

O “não saber” e mesmo assim sentir saudade

Daquele momento que não existiu.

Vi em Você

tumblr_ll9rh1C7rz1qdm9yvo1_500

Vi em você um ser perfeito

Alguém confiável

Amável.

Vi em você a força da vida

Vi em você o sorriso da chegada 

Vi também a dor da partida.

Vi em você o bem e o mal

Vi em você o meu ideal

Vi tudo que sonhei

O que mais desejei.

Vi também, em ti, um ser desconhecido

Com o qual me assustei

Chorei

Sorri

Vivi

Me dei

Briguei

Senti

Voltei

Parti.

Fui feliz, fui iludida

Fui fiel e fui amiga

Mas no fim notei

Que só vi em você

O que eu queria ver.

 

Raissa Muniz

 

O Nada

Foto1892Sabe aquele momento em que quer escrever

mas não sabe o quê?

Escutar musica pra inspirar sempre funcionou.

Conversar com alguém que quer desabafar parece bom.

Agora, de que me adianta escrever sobre algo que eu não sinto?

“Escrever sobre sentimento alheio pode parecer um tanto impróprio”,

vocês podem pensar. 

Eu tenho que escrever. 

Escrever sobre os outros ou sobre mim.

Já escrevi sobre muita coisa.

Sobre amar 

Sobre não amar

Sobre felicidade e tristeza.

Já falei sobre sentir e sobre não sentir.

E já ouvi alguém me dizer pra dar “um tempo” pro meu pensamento.

Pra quê? 

Será que seria a solução?

Vou continuar escrevendo.

Sobre tudo.

Sobre todos os sentimentos possíveis.

Os meus e os seus…

Vou continuar pensando e escrevendo

Mesmo que seja sobre simplesmente nada! 

Raissa Muniz