Queira Sentir, Queira Viver

images (2)Quais são os reais sentimentos de um ser?

Alguns imaginam logo o tal amor.

Mas amor por quem, afinal?

Pela família? Talvez, o Fraternal.

Mas a maioria pensa logo num amor pelo sexo oposto.

Mas sentimentos não é só amor.

Você sente paixão, pode ser.

Sente o que mais?

Felicidade que te faz sorrir do nada.

Vontade de ir longe.

Querer o que quer que seja.

Tristeza, essa que compõe meus melhores versos.

Saudade que tanto dói no coração de quem só ver de longe as pessoas queridas.

Amizade, só se for verdadeira.

Ou qualquer uma que se chame assim, e que te faça bem.

Sinceridade de dizer a verdade doa a quem doer.

Mas e se doer? Será mais um sentimento gerado?

Dor, pode ser considerado sentimento também.

Desde que venha de dentro.

Compaixão, que é mais que sentir pena, é agir em prol de quem sofre.

Mas por que sentir é tão difícil pra alguns?

Não que seja difícil sentir.

O difícil mesmo é dizer que sente.

Mas note, como pude arrancar de cada um o sentimento que predominava em si nesse momento.

Talvez dizer o que sente não seja tão difícil.

Talvez as pessoas se tranquem em seus mundinhos sem querer.

Sentimentos são complexos, as vezes.

E você o que sente de mais profundo?

Pode não querer dizer assim..

Então não diga.

Mas sinta.

Faça esse favor a si próprio.

 

Raissa Muniz

Anúncios

As Lembranças

.....Quais são as piores?

Lembrar das brigas

Dos defeitos

Dos medos.

Me faz sofrer lembrar do mal que me fez.

Me faz sofrer ainda mais lembrar do bem.

Do cheiro

Do beijo

Dos versos

Das fotos

Desenhos de mim que tu fizeste

Das músicas compartilhadas…

Mas é estralho como o tempo passa

e o que era tão forte,

hoje não é nada.

Quase não lembro da sua voz,

Do seu cheiro

Do seu gosto.

Sua Lembrança se torna cada vez mais vaga em mim.

Será que um dia serei capaz de esquecer 

até mesmo seu rosto?

Raissa Muniz

Palavras ao Vento

palavras ao ventoQuais as palavras mais ditas no decorrer de nossas vidas?

Um “eu te amo” em meio a sorrisos..

“Estou com saudade” ao chorar pela falta de alguém.

Posso usar as palavras mais ditas. 

Não importa!

Você pode já tê-las ouvido,

mas serão as minhas palavras.

Serão a expressão do meu sentimento.

Nunca duvide disso!

Não me faça jogar palavras ao vento.

 

Raissa Muniz

O Nada

Foto1892Sabe aquele momento em que quer escrever

mas não sabe o quê?

Escutar musica pra inspirar sempre funcionou.

Conversar com alguém que quer desabafar parece bom.

Agora, de que me adianta escrever sobre algo que eu não sinto?

“Escrever sobre sentimento alheio pode parecer um tanto impróprio”,

vocês podem pensar. 

Eu tenho que escrever. 

Escrever sobre os outros ou sobre mim.

Já escrevi sobre muita coisa.

Sobre amar 

Sobre não amar

Sobre felicidade e tristeza.

Já falei sobre sentir e sobre não sentir.

E já ouvi alguém me dizer pra dar “um tempo” pro meu pensamento.

Pra quê? 

Será que seria a solução?

Vou continuar escrevendo.

Sobre tudo.

Sobre todos os sentimentos possíveis.

Os meus e os seus…

Vou continuar pensando e escrevendo

Mesmo que seja sobre simplesmente nada! 

Raissa Muniz

Sentir Ou Não Sentir… Eis o Que Está Escrito!

sentirDe repente comecei a pensar;

A pensar profundamente

Mas os pensamentos são vagos,

Estranhos.

Estou agora pensando em tudo

e em nada ao mesmo tempo.

Sinto o coração leve e 

Também pesado.

Sinto extremos!

Me sinto Presa dentro de mim.

Tudo como um misto.

Vejo flores e raios de sol

ao olhar pra minha parede pintada de branco.

Mas tudo fica escuro,

Frio.

E as flores secam…

Meus olhos pesam,

Minhas costas doem como se

carregasse o mundo sozinha.

Minha mão quente segura a caneta

Que corre pelo papel

sem nenhum propósito.

Apenas corre…

Escrevendo palavras sem sentido algum,

que ao ler, vejo que falam de 

sentimentos nunca vividos.

Pareço esquecer o que era sentir.

Ou sinto, sinto tudo ao mesmo tempo.

Confuso.

Se isso é ser insano,

Que seja!

Se isso não é ser poeta,

O que é, então?

Raissa Muniz

Retrato

rute retratoA silhueta era de boneca que ainda não saíra da caixa

Os cabelos aveludados, as vezes emaranhados nas ideias tortas e confusas

Nas mãos uma rosa, q ainda não deixara de ser rosa

Seu semblante era turvo, opaco, ao mesmo tempo tênue

O olhar pungente na janela em busca de algo…

O moço da estação de trem sorrira um sorriso ledo, enigmático

Mas ela via além, extra-olhos

O moço recolhera-se a sua insignificância e reverenciara o guarda

Mas agora ela preocupara-se com a rosa

Precisava de água para completar o seu ciclo de amadurecimento

As mãos frias não poderiam lhe dá os nutrientes q precisava

Mãos misteriosas, cheias de espinhos e flores

Ela gostava de lírios, tinha paixão por lírios

Sobre as pernas, uma bolsa, livros existenciais, fotos, mostrando a meninice e o desabrochar da rosa.

Carregava ainda consigo um espelho partido Partido feito o que tinha lá dentro, estilhaçado…

Ela só queria sentir que ele estava ao seu lado quando o sol invadisse as janelas rapidamente

O rosto lívido agora contraíra-se

Tomada por sensações latentes…

Os olhos fixos no nada

Espremia a rosa

O látex branco saíra por entre os dedos

Sujara a alma…

Os espinhos a feriam.

(Rute Lima)

As Dores

dorAs pancadas que levamos ao longo da vida

nos fazem sentir um cansaço, uma indisposição…

É algo que não se pode conter.

As decepções não trazem só as lágrimas.

Quisera eu apenas chorar e depois..

Depois reviver,

Como se fosse um novo ser

cheio de vida,

esperança 

e sem lembranças do que passou.

Mas agora creio que não foi uma decepção.

Ou talvez tenha sido sim,

Decepção comigo mesma.

Por eu ter deixado tudo desmoronar

como se fosse um prédio condenado a demolição.

E o estrago foi imenso.

Ainda hoje estou a limpar a poeira que ficou,

os restolhos  que sobraram aqui dentro de mim.

E como estou exausta!

 

 

Raissa Muniz